terça-feira, 24 de abril de 2012

E assim nasce um jango!

O nosso campus universitário cresce de dia para dia... Convidamo-lo a uma curta visita guiada através do nosso albúm fotográfico. Para hoje elegemos o nosso jango: um feliz cruzamento entre os materiais tradicionais africanos de construção, a técnica e perícia da equipa de técnicos namibianos e a solidez dos blocos de betão saídos das mãos dos trabalhadores da casa.

Notícia e fotos  por:   Marivalda  da Cruz Gonçalves











domingo, 22 de abril de 2012

1ªs Jornadas Científicas de Economia-Gestão e Direito



Foram dois dias intensos de partilha de saberes e experiências.  Uma prova inequívoca de que caminhamos, enquanto instituição de ensino superior, no sentido da prossecução dos pressupostos na base da criação desta instituição: fomentar a partilha do saber, aproximar a universidade dos seus parceiros sociais, promover, cada vez mais, o cruzamento de perspectivas que visam, fundamentalmente, abrir horizontes ao nível social, académico e cívico  que, espera-se, se venham a traduzir num papel cada vez mais dinâmico e congregado de todos os intervenientes, através da criação e implementação de projectos ao serviço da comunidade, dos cidadãos, em síntese, de todos os angolanos.

Partilhamos alguns dos momentos através das fotos que registam a ambiência e o espírito que presidiu ao evento.

Notícia por:   Marivalda  da Cruz Gonçalves




Doutor António Amândio, Director Pedagógico da Unipiaget Benguela

Doutor Paulo Trigo Pereira, Professor Associado do ISEG - UTL

Estudantes das Licenciaturas de Economia e Gestão e Direito

Docentes da Unipiaget, Administrador Eng.º Mário Rui 

Estudante intervindo na 1ª sessão de debates

Estudante intervindo na 1ª sessão de debates

Dr. Vikeia, (docente  Economia) e Doutor  Paulo Trigo Pereira

Dra. Nídia Martins e Dra. Ana Quinene (docentes de Direito)

Dr. Vikeia e Professor Trigo Pereira

Dr. Mateus (docente de Economia)

Dr. Mateus, Dr. Arlindo Filipe (Docente e Coordenador de Direito)
 e Dr. Boaventura (docente de Direito)


Msc. Ricardo Amaro (Administrador do Lobito); Professor Trigo Pereira e
Dr. Leopoldo Luhmongo (Administrador de Benguela)

Dr. Vikeia, Doutor Bonifácio Tchimboto (Vice-reitor) e Dr. Amândio)


Msc. Ricardo Amaro (Administrador do Lobito),
Professor Trigo Pereira,
 Dr.  Leopoldo Muhongo (Admnist. de Benguela)
e Msc. Carlos Pacatolo (Coordenador de Economia-Gestão)

Docentes da Unipiaget Dra. Maria João Marques (Enfermagem),
Dra. Marivalda Cruz (Línguas) e Dra. Nídia Martins (Direito)


Administrador da Unipiaget - Benguela, Eng.º Mário Rui
Professor Trigo Pereira

fotos por: Miguel Sapalo (estudante do Curso de Direito)



quinta-feira, 19 de abril de 2012

Abertura das 1ªs Jornadas de Economia-Gestão e Direito

(transcrição do discurso de abertura das Iªs Jornadas Científicas de Economia-Gestão e Direito pelo Doutor António Pedro Amândio)


Ilustres Convidados, Estudantes dos Cursos de Economia e Gestão e Direito, Senhora e Senhores,

     Aceitai, em nome da Direcção, os nossos cumprimentos de boas vindas a estas Primeiras Jornadas Científicas, lugar privilegiado de refrescamento científico-intelectual, a decorrerem nas Instalações da nossa Universidade sob o tema: “políticas públicas e cidadania inclusiva”. A vós conferencistas e facilitadores desta suculenta mesa académica endereçamos os nossos agradecimentos pelas vossas contribuições neste entrosamento do saber.
     Senhoras e Senhores, a necessidade de o homem viver integrado, organizado em sociedade, por causa – em certo sentido – da sua contingência bio-psico-fisiológica, levou-o desde cedo a buscar estratégias, sistemas e até mesmo regimes de organização social que tornassem possível a sua adaptação ao tempo e ao espaço. A adaptação ao meio foi e é um processo que sempre comportou e comporta tensões e incompreensões, recuos, estagnações e avanços. Por esta causa e por outros motivos encontramo-nos aqui em Jornadas Científicas.
     Os séculos das luzes (XVII e XVIII) e a aparição da indústria moderna (século XIX) dissolveram as antigas estruturas sociais, debilitadas pelo tempo e pela estagnação, abrindo portas a mudanças radicais na composição das novas sociedades, cujos frutos transparecem na relação capital-trabalho, tornada hoje uma “questão decisiva”; na transformação das estruturas de produção e do capital convertido em “novo poder” que, colocado em mãos de poucos, em mãos dos grupos dos mais iguais, se torna alavanca de antigas e novas expressões de exclusão; na sobreposição do ter e do produzir sobre o ser e a dignidade, fazendo do ser um refém do ter a todo e qualquer preço; no aprofundamento do fosso entre as ciências humanas e as ciências económico-tecnológicas, colocando aquelas ao serviço e, às vezes, reféns destas sob o prisma do pragmatismo e sobretudo do utilitarismo.
     Bastará termos os olhos abertos para percebermos quanto a justiça é e deve ser o objectivo a atingir e, consequentemente, também a medida intrínseca de toda a política. Para o efeito, a política precisa de transcender a fronteira da simples técnica para a definição dos ordenamentos públicos, a fim de se fixar no patamar da ética promotora de uma verdadeira ecologia das relações inter e intra-humanas. Por outro lado, a razão precisa de se purificar da cegueira ética, derivada da prevalência do interesse e do poder que a deslumbram para que se possa fixar em metas sociais traduzidas em cidadania verdadeiramente inclusiva.
     Hoje, mais do que nunca, senhoras e senhores, como bem o tem percebido o fundador desta obra e Presidente da Associação Jean Piaget, Professor Doutor António Oliveira Cruz, a questão do diálogo interdisciplinar e transversal apresenta-se como caminho para defender o homem que, no dizer de Protágoras “é a medida de todas as coisas: das que existem, porque são; e das que não existem, porque não são”. As ciências são tais enquanto dialogam umas com as outras. Assistimos, pois, hoje e amanhã a um exercício deste desiderato, vendo confrontadas a ciência económica e jurídica na busca de vias de aproximação para favorecerem o homem todo e todo o homem. Bem haja aos organizadores destas jornadas! Aqui postos, declaramos abertas as Primeiras Jornadas Científicas sobre as “políticas públicas e cidadania inclusiva”.

Benguela, 18 de Abril de 2012
                                                                                                   
                                                                                       António Pedro Amândio, (PHD)
                                                                                     (Director Pedagógico)


quarta-feira, 18 de abril de 2012

JORNADAS CIENTÍFICAS DOS CURSOS DE 
ECONOMIA-GESTÃO E DIREITO

SUBORDINADA AO TEMA:


 “POLÍTICAS PÚBLICAS E CIDADANIA INCLUSIVA”

18-19 DE ABRIL DE 2012

Comissão Organizadora:
Coordenação dos cursos de Economia e Gestão (Msc. Carlos Pacatolo 
e Direito (Dr. Arlindo Filipe )


Horário
4.ª Feira, 18 de Abril
Sessão Solene Inaugural
Horário
5.ª Feira, 19 de Abril
08h45
- Recepção aos participantes
09h15
 Recepção aos participantes
09h00
DISCURSO DE ABERTURA pelo Exmo. Director Pedagógico da Universidade Jean Piaget de Benguela, Doutor António Pedro Amândio
09h30
3ª Conferência: A Ineficácia do Patrocínio Judiciário no Ordenamento Jurídico Angolano!
Oradores: José Ramon e Dr. João Carlos de Carvalho, Estudantes do 4º ano do Curso de  Direito da UniPiaget  Benguela
09h30
1ª Conferência: Angola: Que Desafios para a Descentralização e Desconcentração do Estado?
Orador: Doutor Paulo Trigo Pereira, Professor Associado do ISEG - UTL
11h30
2ª Conferência: Acesso do Cidadão à Justiça.
Orador: Dr. António Jolima José, Juiz de Direito, Presidente do Conselho Provincial Eleitoral de Benguela
11h30
Mesa redonda: O Papel do Governo Central, Provincial e da Administração Municipal na Educação.
Oradores: Paulo Trigo Pereira, Professor Associado do ISEG – UTL, Msc. Amaro Segunda Ricardo, Administrador Municipal do Lobito e o Dr. Leopoldo Muhongo, Administrador Municipal de Benguela.
13h30 Intervalo: Almoço 13h45 – 14h45: Sessão de Cinema
13h30 Intervalo: Almoço 13h45 – 14h45: Sessão de Cinema
16h00



17h00

18h30


Mesa Redonda: Os Desafios do Ensino do Direito e da Economia e Gestão na UniPiaget Benguela
Dr. Arlindo Filipe e Dr. Boaventura Tomás Rodrigues - Msc. Carlos Pacatolo e Dr. Américo Mateus

Sessão de Lançamento dos Livros do Doutor Paulo Trigo Pereira, no Auditório 2 , seguida de autógrafos junto a torre


Encerramento

15h30
4ª Conferência: Que Modelo de Descentralização Financeira Para Angola?
Orador: Msc. Carlos Pacatolo, Coordenador do Curso de Economia e Gestão da UniPiaget Benguela
17h00
Encerramento: Eng.º Mário Rui, Administrador da UniPiaget Benguela


Notícia por:   Marivalda  da Cruz Gonçalves

Estagiários de Enfermagem são notícia na comunicação social de Portugal

(transcrição da notícia publicada em onda livre)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 Escrito por Lídia Martins_Rádio Onda Livre_(CIR)
 Aumentar a sua qualificação e consolidar novos conhecimentos para depois implementarem na sua região e contribuírem assim para um maior desenvolvimento de Angola.
É com esta finalidade que 16 alunos do curso de Enfermagem do Piaget de Benguela, em Angola, estão em Macedo de Cavaleiros para estagiar. 
Os estudantes angolanos vão iniciar o seu estágio curricular, esta segunda-feira, na Unidade Local de Saúde do Nordeste.
A enfermeira coordenadora, Alice Morais sustenta que estes jovens estão em Portugal através de bolsas de mérito e com o objetivo de à posteriori serem agentes de mudança para o seu país.
“O objetivo é fazerem um estágio que lhes possibilite compreender outras dinâmicas, atividades, experiências e com isso saírem com uma preparação melhor e poderem realmente contribuir para transformar aquele país, e eles de facto querem contribuir para o crescimento do país, para as transformações que se estão a verificar no país, eles próprios tem a noção disso. Deverão ser agentes de mudança numa realidade de mudança. Este estágio contribui para isso porque eles vão contactar com situações em várias valências, como por exemplo, obstetrícia, cirurgia, cuidados paliativos, especialidades médicas e cirúrgicas” explicou a coordenadora Alice Morais.
 Alexandre Comangua, aluno de Benguela sustenta que Portugal e Angola são dois países com realidades distintas, mas acredita que a sua vinda para cá é o primeiro passo para ajudar à mudança e ao melhoramento do seu país.
“Ver muita coisa diferente, é o ponto de vista do fundamento do meio e algumas coisas que nós estamos a captar. Estamos a aprender alguma coisa só em observação. Já tivemos algum contacto com os elementos da escola e também somos já capazes de estabelecer uma área, vejo isso muito legal. É o meu orgulho, não só para mim, acho que para todo o grupo, já estou motivado com a formação, mas já tenho o plano traçado, que é dar o meu contributo lá para o nosso país” revelou o aluno angolano. Acrescentando que “ muita coisa talvez, com a nossa experiencia, poderá mudar, em termos de enfermagem a linguagem é uma. O ponto de vista económico e cultural é diferente, mas quem sabe, estamos a caminhar pouco a pouco para conseguirmos essa mudança.”
 Domingos Fernando, também é aluno do 4º ano de Enfermagem de Benguela.
Está em Macedo de Cavaleiros para aumentar a sua formação e o objetivo deste aluno é apenas um.
Apreender novos conhecimentos e contribuir com eles para o desenvolvimento de Angola.
“Espero uma melhoria e receção de novos conhecimentos em termos dessa formação para cumprir com o objetivo com o qual vim para aqui. Acho que o objetivo é o mesmo que o meu colega, recolher os conhecimentos para posteriormente contribuir com eles para o desenvolvimento do meu país, sobretudo da minha província que é Benguela” sublinhou Domingos Fernando.
 As potencialidades de um país passam pelos recursos humanos e estes 16 estudantes angolanos estão em Portugal para aumentar o potencial de Angola.
Os estágios vão ser repartidos pelos três hospitais do distrito de Bragança.
Os estágios vão ter a duração de dois meses e meio e são fruto de um Protocolo de Cooperação com a Unidade Local de Saúde do Nordeste para facilitar o desenvolvimento de estágios curriculares a alunos do Instituto Piaget de Angola e de Portugal, nomeadamente através da Escola Superior de Saúde de Macedo de Cavaleiros.

domingo, 15 de abril de 2012

Baptismo dos Caloiros 2012


O Conselho de Delegados e os estudantes das 12 Licenciaturas (Sociologia, Direito, Línguas, Economia, Psicologia, Enfermagem, Farmácia, Motricidade Humana, Engenharia Civil, Engenharia Informática, Engenharia dos Petróleos) no dia 14 de Abril, dia da Juventude Angolana, num verdadeiro espírito de alegria e celebração, organizaram a festa de recepção aos novos piagetinos que pautou pela alegria e boa disposição. Partilhamos com toda a comunidade piagetina e aqueles que nos seguem, algumas das fotos do evento.

Notícia por:   Marivalda  da Cruz Gonçalves


















(fotos por: Arnaldo Platini)


sábado, 14 de abril de 2012

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Arranca a 1ª etapa das Olimpíadas: Aprender para Vencer!

A expectativa era patente no rosto dos alunos da Escola Hoji-Ya-Henda

Para mais detalhes, acompanhe as actividades na página oficial "Aprender para Vencer"!


Notícia por:   Marivalda  da Cruz Gonçalves



domingo, 1 de abril de 2012

Primeira defesa de monografia do Curso de Engenharia Informática de Gestão

No passado dia 17/03/2012, o estudante MATEUS MIRENY VASCO MADALENO, defendeu a sua monografia que tem como título ‘’ANÁLISE COMPARATIVA DA PERFORMANCE ENTRE AS EMPRESAS GABRIEL NETO E AUTO CONTINENTE NA PROVÍNCIA DE BENGUELA’’, obtendo a nota de 15 valores (muito bom).

A mesa de júri estava constituído pelo presidente de júri (Msc. Eng.º Luis Gomes), o arguente (Dr. Edgar Leite), o tutor (Msc. Eng.º Catarino Teixeira) e o co-tutor (Msc. Eng.º Juliano de Nascimento).

Resumo: 
A referida monografia visa perspectivar uma análise comparativa entre empresas que implementaram o ERP(Enterprise Resource Planning ou Sistema Integrado de Gestão de Empresarial) e empresas que não implementaram, empresas estas, Rent-a-Car “Auto-Continente” e “Gabriel Neto” localizadas na província de Benguela.
A mesma visa cumprir com os objectivos preconizados tais como: Impacto positivo proporcionado pelo ERP.
Estabeleceu-se uma comparação sobre os aspectos organizacionais da gestão das empresas RENT-A-CAR Gabriel Neto e Auto-Continente.
 Conheceu-se o grau de satisfação dos clientes e trabalhadores das empresas Gabriel Neto e Auto-Continente.

Texto e fotos por: Msc. Eng.º Catarino Teixeira



O co-tutor Juliano Nascimento, o estudante Mateus Madaleno, o tutor Catarino Teixeira

o presidente de júri, Luís Gomes (em pé),  o arguente , Edgar Leite (sentado, de branco)




Arquivo de Notícias